Trabalhos e Publicações

Pesquisar

Últimos Trabalhos e Publicações

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O objetivo deste trabalho é mostrar a influência do método executivo de estacas raiz na capacidade de carga através de prova de carga estática. Observa-se na prática, metodologias
diferentes de execução de estacas raiz. Em uma obra realizada na Zona Central de São Paulo, foram executadas estacas raiz, com metodologias diferentes, particulares a cada empresa executora. Será apresentada uma prova de carga estática onde houve ruptura e discutida a possibilidade da causa ter sido a metodologia empregada na execução.Na mesma obra foram realizadas várias provas de carga que serão avaliadas e comparadas com métodos semi-empíricos, para ajuste da interpretação da prova de carga onde houve a ruptura. O caso alerta para a importância da execução de provas de carga estática conforme a norma preconiza e também mostra a importância das equipes de projeto e execução interagirem durante a obra, adaptando processos, hipóteses de projeto em face de metodologia executiva adotada.

Para ler o trabalho clique aqui

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O objetivo é mostrar casos onde o acompanhamento de estacas Hélice Continua Monitorada (HCM), foi feito a partir de uma proposta de Alonso (2000 e 2003), para encontrar uma maneira de confirmar as hipóteses de projeto baseadas nos ensaios disponíveis (sondagens à percussão SPT eventualmente com medida de torque). Conforme aventado por Alonso nos trabalhos citados “a execução de qualquer tipo de fundação deve ser controlada durante a execução e caso as premissas de projeto sejam confirmadas nada deve ser mudado. Caso contrário se ocorrerem diferenças a equipe de projeto deve proceder às devidas revisões ou novas investigações geotécnicas”. Mostraremos nesse trabalho casos em que utilizando o procedimento proposto, foi possível constatar que as premissas de projeto estavam corretas e casos onde isso não se verificou. Temos que ter em mente que esse procedimento não deve ser único e de que é preciso analisar os demais eventos que possam interferir na execução de uma estaca ou das sondagens, o perfil geotécnico da região, topografia, acidentes geológicos, ocorrências da obra, etc.
Para ler o trabalho clique aqui

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O presente trabalho apresentará um caso da construção de um edifício de 17 pavimentos localizado na cidade de Santos, S.P., cujas fundações foram projetadas e executadascom estacas metálicas profundas, constituídas por elementos de seção variável. Serão apresentados as características geotécnicas locais, osprincipais critérios de dimensionamento e os resultados da prova de carga estática
instrumentada em profundidade, realizada em dezembro de 2006, em uma estaca de 49,0 m de comprimento. Será apresentado também um método semi-empírico de previsão de capacidade de carga para estacas metálicas na Baixada Santista. Será abordado ainda a utilização dos controles tradicionais de cravação tais como negas e repiques para este tipo de estaca.

Para ler o trabalho clique aqui

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A pesquisa aborda problemas de recalques que vem ocorrendo na Cidade deSantos desde o início dos anos 40, devido à implantação de edifícios sob fundaçãodireta.O trabalho destaca o Bairro da Ponta da Praia, onde os recalques ocorridos,principalmente os diferencias, foram bem menores que no restante da orla, e aregião entre os canais três e seis, denominado pela autora “Faixa Crítica”, ondeestão concentrados diversos edifícios inclinados ao longo da orla. Os estudos foram baseados em uma grande quantidade de sondagens de simples reconhecimento coletadas na cidade; alguns ensaios do cone, CPT e CPTU, também foram analisados. Foi feita uma comparação entre as duas regiões Ponta da Praia e “Faixa Crítica”, mostrando as diferenças nas espessuras e naspropriedades geotécnicas das camadas de areia superficial.Foram feitostambém cálculos para a previsão de recalques no bairro da Ponta daPraia e na “Faixa Crítica”, levando-se em conta os mecanismos dessobreadensamento das argilas da Baixada Santista e diferenças nas espessuras da camada de areia superficial. Com a análise das sondagens coletadas foi possível responder algunsquestionamentos sobre o perfil geotécnico da Orla de Santos, traçar o perfil geotécnico da orla do bairro da Ponta da Praia e traçar seções no sentido transversal à orla, (praia-centro).

Dissertação apresentada à Escola Politécnica da USP para obtenção do Título de Mestre em Engenharia

Aluna: Marianna Silva Dias

Para ler o trabalho clique aqui

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Em 2010, foi emitida uma revisão da NBR 6122 que introduziu um critério de obrigatoriedade de execução de provas de carga estática em função da quantidade, tipo e tensão de trabalho no concreto das estacas. Desde então, a prática se tornou muito mais corriqueira no Brasil, sendo os ensaios normalmente realizados durante a execução das fundações com o intuito de comprovar seu desempenho. A realização de provas de carga estática previamente à elaboração do projeto de fundações, também prevista na revisão da norma, ainda é prática pouco usual. Este artigo trata de um empreendimento com três torres residenciais na cidade de Jundiaí – SP, com um subsolo, dois sobressolos, térreo e 12 pavimentos-tipo, onde foram executadas duas provas de carga prévias. Os ensaios foram executados sem interferência no cronograma de projetos.

Para ler o trabalho clique aqui

Pesquisar